6.1 O operador pipe

A ideia do operador %>% (pipe) é bem simples: usar o valor resultante da expressão do lado esquerdo como primeiro argumento da função do lado direito.

# As duas linhas abaixo são equivalentes.

f(x, y)
x %>% f(y)

Nos casos mais simples, o pipe parece não trazer grandes vantagens. Agora, veja como fica um caso com mais etapas.

# Vamos calcular a raiz quadrada da soma dos valores de 1 a 4. Primeiro, sem o pipe.

x <- c(1, 2, 3, 4)
sqrt(sum(x))
## [1] 3.162278
# Agora com o pipe.

x %>% sum() %>% sqrt()
## [1] 3.162278

O caminho que o código x %>% sum %>% sqrt seguiu foi enviar o objeto x como argumento da função sum() e, em seguida, enviar a saida da expressão sum(x) como argumento da função sqrt(). Observe que escrevemos o código na mesma ordem em que as operações são realizadas. A utilização de parênteses após o nome das funções não é necessário, mas recomendável.

Se você ainda não está convencido com o poder do pipe, fica que vai ter bolo!

No exemplo abaixo, vamos ilustrar um caso em que temos um grande número de funções aninhadas. Veja como a utilização do pipe transforma um código confuso e difícil de ser lido em algo simples e intuitivo.

# Receita de bolo sem pipe. Tente entender o que é preciso fazer.

esfrie(
  asse(
    coloque(
      bata(
        acrescente(
          recipiente(
            rep("farinha", 2), 
            "água", 
            "fermento", 
            "leite", 
            "óleo"
          ), 
          "farinha", 
          ate = "macio"
        ), 
        duracao = "3min"
      ), 
      lugar = "forma", 
      tipo = "grande", 
      untada = TRUE
    ), 
    duracao = "50min"
  ), 
  lugar = "geladeira", 
  duracao = "20min"
)


# Veja como o código acima pode ser reescrito utilizando-se o pipe. Agora realmente se parece com uma receita de bolo.

recipiente(rep("farinha", 2), "água", "fermento", "leite", "óleo") %>%
  acrescente("farinha", ate = "macio") %>%
  bata(duracao = "3min") %>%
  coloque(lugar = "forma", tipo = "grande", untada = TRUE) %>%
  asse(duracao = "50min") %>%
  esfrie(lugar = "geladeira", duracao = "20min")

Às vezes, queremos que o resultado do lado esquerdo vá para outro argumento do lado direito que não o primeiro. Para isso, utilizamos um . como marcador.

# Queremos que o dataset seja recebido pelo segundo argumento (data=) da função "lm".

airquality %>%
  na.omit() %>%
  lm(Ozone ~ Wind + Temp + Solar.R, data = .) %>%
  summary()
## 
## Call:
## lm(formula = Ozone ~ Wind + Temp + Solar.R, data = .)
## 
## Residuals:
##     Min      1Q  Median      3Q     Max 
## -40.485 -14.219  -3.551  10.097  95.619 
## 
## Coefficients:
##              Estimate Std. Error t value Pr(>|t|)    
## (Intercept) -64.34208   23.05472  -2.791  0.00623 ** 
## Wind         -3.33359    0.65441  -5.094 1.52e-06 ***
## Temp          1.65209    0.25353   6.516 2.42e-09 ***
## Solar.R       0.05982    0.02319   2.580  0.01124 *  
## ---
## Signif. codes:  0 '***' 0.001 '**' 0.01 '*' 0.05 '.' 0.1 ' ' 1
## 
## Residual standard error: 21.18 on 107 degrees of freedom
## Multiple R-squared:  0.6059, Adjusted R-squared:  0.5948 
## F-statistic: 54.83 on 3 and 107 DF,  p-value: < 2.2e-16

O pipe é a força da gravidade dentro do tidyverse. Veremos nos próximos capítulos como as funções de diferentes pacotes interagem perfeitamente graças a esse operador.


Curso-R